Ir para o conteúdo
Informações da página

Você está em: Página Inicial > Notícias

Pesquise aqui
Início do conteúdo

Gripe H1N1

Mas afinal, o que é gripe H1N1?

A gripe H1N1 é uma doença causada por uma mutação do vírus Influenza, chamada de Influenza tipo A. Esta doença tomou notoriedade em 2009, quando afetou grande parte da população mundial, sendo chamada de "Gripe Suína". Esta gripe se diferencia das demais por ser causada por um vírus com maior capacidade de causar complicações respiratórias graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), especialmente em populações (grupos de pessoas) mais predispostas ou suscetíveis a estas complicações.

Quem são as pessoas mais predispostas a fazer doença grave?

O termo "grupo de risco" refere-se ao grupo de pessoas, nas quais a infecção pelo vírus H1N1 poderá desencadear complicações mais graves, como a SRAG. Este grupo é formado (principalmente) por:

- Crianças menores de cinco anos de idade;

- Gestantes (de qualquer idade gestacional) e puérperas;

- idosos;

- Portadores de doenças pré-existentes:

  • Doenças cardíacas graves;
  • Doenças pulmonares graves;
  • Diabetes descompensada ou com doenças secundárias à diabetes;
  • Obesos mórbidos
  • Portadores de câncer (especialmente em tratamento quimioterápico);
  • Imunossuprimidos, como portadores do vírus HIV ou portadores da AIDS.

Como ocorre a transmissão do Vírus?

Ocorre através do contato de pessoa a pessoa, principalmente por meio da tosse, espirro, mãos contaminadas e pelas secreções respiratórias de pessoas infectadas.

Como se previne a gripe H1N1?

Assim como para outras doenças infectocontagiosas virais, a prevenção deve ser feita diuturnamente. Podemos dividir a prevenção em dois grandes grupos:

1. Prevenção primária: são aquelas para evitar a infecção. As medidas desse grupo são as mais importantes e visam, primordialmente, evitar a infecção. São exemplos de medidas primárias:

- VACINAÇÃO PERIÓDICA;

- Não compartilhar objetos de uso pessoal (copos, talheres e pratos);

- Mantenha os ambientes sempre bem ventilados, evitando, sempre que possível, locais aglomerados de pessoas;

- Usar roupas adequadas à temperatura ambiental;

- Faça a higiene das mãos com frequência.

2. Prevenção secundária: são aquelas para evitar a disseminação. Este grupo de medidas visa, primordialmente, conter a disseminação do vírus uma vez que tenhamos sintomas gripais. São exemplos medidas secundárias:

- Utilize lenços descartáveis para a higiene nasal, descartando o lenço utilizado em local correto;

- Ao espirrar ou tossir, evite contaminar as mãos. Use lenço descartável ou o antebraço próximo a curvatura interna do cotovelo;

- Ao manifestar sintomas de gripe, tome bastante água;

- Evite o estresse, dormir pouco e abuso de álcool/drogas.

E as vacinas funcionam mesmo? Qual a diferença entre as vacinas da Rede Pública e as da Rede Privada? Alguma é mais eficaz que e a outra?

Calma! Vamos por parte:

1. As vacinas funcionam mesmo? Para a população em geral, a eficácia desta vacina varia entre 60% a 90%. Entre os fatores que influenciam nesta eficiência destaca-se a faixa etária do paciente, presenças de outras infecções (virais e/ou bacterianas) concomitantes e a presença de doenças crônicas.

2. Qual a diferença entre as vacinas da Rede Pública e as da Rede Privada? As vacinas disponibilizadas anualmente pela rede pública são chamadas de trivalente, isto é, conferem proteção contra três vírus (H1N1, H3N2 e Influenza tipo B). Já as vacinas disponibilizadas pela rede privada são ditas tetravalente, o que por sua vez, conferem proteção para quatro tipos de vírus (os mesmos da trivalente somados de um outro subtipo de Influenza tipo B).

3. Alguma é mais eficaz que a outra? Em relação à proteção contra o vírus H1N1, NÃO! No entanto, a tetravalente por apresentar um componente a mais teoricamente teria uma cobertura maior.

Ok! Estou com sintomas de gripe agora, como eu diferencio entre uma gripe comum (não H1N1) com a gripe H1N1?

De uma maneira específica, apenas com exames laboratoriais podemos distinguir entre uma gripe H1N1 e uma não-H1N1. No entanto, para podermos avaliar a necessidade de ir (ou não) ao pronto socorro podemos nos balizar no quadro abaixo (extraído do site www.cremers.org.br).

(Fonte: www.cremers.org.br)

 

A amiga da vizinha da minha tia do interior fez a vacina e pegou a gripe? Isto é possível ou foi uma gripe de reação da vacina?

Sim, isto é possível sim. Lembre-se que as vacinas protegem contra três ou quatro vírus específicos e na contra todos os vírus existentes em nosso meio. Logo é aceitável que a amiga da vizinha da tia tenho feito um quadro de gripe mesmo tendo sido imunizada com a vacina trivalente ou tetravalente. No entanto, a vacina não poderia ser a responsável por este quadro, tendo em vista, que a mesma é confeccionada com partes específicas e não patogênicas (isto é, partes que não causam a doença) dos vírus citados. As reações mais comuns que a vacina da gripe pode causar são: dores no local da administração, mal estar e febre baixa, isto porque é o nosso organismo reagindo ao agente (partícula do vírus) admistrado.

 

Tive uma gripe, há um tempo, e meu médico me tratou como tendo uma gripe H1N1. Eu preciso fazer a vacina mesmo assim?

Sim! A imunidade conferida pelo vírus é específica para o vírus daquele ano (ou inverno). Lembra-se da sua pergunta (?o que é uma gripe H1N1)? O vírus H1N1 é um vírus mutante, e (teoricamente) sofre mutações periódicas. Por este motivo tanto a imunidade causada pela doença (gripe H1N1) quanto a imunidade conferida pela vacina (tri ou tetravalente) são temporárias.

Uhnnn... Estava olhando a tabela, acho que estou com gripe H1N1. E agora, vou ao consultório do meu médico ou ao Pronto Socorro?

Primeiro lugar, não há motivos para pânico! Frente a suspeita pessoal de estar com uma gripe H1N1 procure seu médico ou unidade de saúde básica mais próxima. Evite procurar os Pronto Socorros, exceto se estiver apresentando sinais de gravidade ou tiver a indicação de um profissional da saúde para o fazer. Lembre-se: unidades de pronto atendimento são locais de atendimento de casos graves, e que expor a pessoa já debilitada a um local contaminado de outros microrganismos pode acarretar em uma outra doença oportunista.

Tá, última pergunta, promete! Fui ao médico e estou com gripe H1N1! Preciso levar meus parentes para atendimento preventivo?

NÃO! Somente as pessoas com sintomas precisam ser atendidas por profissionais médicos. Observe os sintomas descritos na tabela. Frente a algum(s) dos sintomas descritos ali, aí sim, procure seu médico para avaliar a necessidade de tratamento específico. Lembrando, para finalizar, que nem todos os casos suspeitos necessitam obrigatoriamente receber o famoso Oseltamivir (Tamiflu).

Autor: Md Andrew Chaves Feitosa da Silva

Veja mais

Final do Conteúdo Ir para as informações da Página

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Rua General Osório, 348 | Bairro Centro | CEP: 95700-086 | Bento Gonçalves/RS

E-mail: gabinete@ifrs.edu.br | Dúvidas de Acessibilidade: acoes.inclusivas@ifrs.edu.br | Ouvidoria | Telefone: (54) 3449-3300